PUBLI PREF GOIÂNIA CASA BRASIL 15409 e FULL
Logomarca
Nublado
º
min º max º
CapaJornal
Versão Impressa Leia Agora
Terça-feira. 21/09/2021
Facebook Twitter Instagram

POLÍTICA

PSDB

PSDB decide se colocar como oposição a Bolsonaro

Executiva se posicionou após discursos do presidente de 7 de setembro; José Eliton já defendia posição

09/09/2021 às 12h00


POR Redação

facebook twitter whatsapp

O PSDB decidiu se colocar oficialmente como oposição ao presidente Bolsonaro (sem partido) e debater o impeachment do mandatário. A posicionamento foi tomado em reunião da Executiva Nacional em Brasília. A informação foi confirmada no Twitter.

“O PSDB repudia as atitudes antidemocráticas e irresponsáveis adotadas pelo presidente da República em manifestações pelo Dia da Independência. Ao mesmo tempo, conclama as forças de centro para que se unam numa postura de oposição a este projeto autoritário de poder”, escreveu o perfil oficial.

A decisão foi unânime. Desta forma, o partido resolveu aderir à frente de oposição do centro democrático, com partidos como DEM, MDB e Cidadania.

O entendimento veio após os discursos inflamados de Bolsonaro no 7 de setembro. Antes disso, a sigla se declarava independente.

 Vale lembrar, o tucano já disse ao portal que defendia uma oposição a Bolsonaro. “No âmbito federal, o partido deve estar em uma frente ampla pela democracia, em posição antagônica em relação ao governo Bolsonaro”, declarou ainda em fevereiro deste ano.

Discursos de Bolsonaro no 7 de setembro

Na Esplanada, em Brasília, na terça (7), o mandatário repetiu que “não devemos aceitar nada fora das 4 linhas da Constituição”. E acrescentou: “Não aceitaremos mais prisões políticas. Cada chefe de poder que enquadre o seu ou tomaremos uma atitude. Juramos respeitar a CF. Quem age fora dela ou se enquadra ou pede pra sair. Uma nova história começa a ser escrita no Brasil.”

Em nova ameaça ao Supremo Tribunal Federal (STF), ele pediu ao ministro Luiz Fux para enquadrar Alexandre de Moraes: “Quem age fora da constituição, ou se enquadra ou pede pra sair!”

Também nesta quarta (8), o PSL e o DEM emitiram nota conjunta contra o discurso do presidente Bolsonaro. “Hoje se torna imperativo darmos um basta nas tensões políticas, nos ódios, conflitos e desentendimentos que colocam em xeque a Democracia brasileira.” O texto reforça a possibilidade de junção dos dois partidos.