Logomarca
Nublado
º
min º max º
CapaJornal
Versão Impressa Leia Agora
Terça-feira. 19/01/2021
Facebook Twitter Instagram

POLÍTICA

SENADO

Jorge Kajuru confirma candidatura à presidência do Senado em Brasília

Senador por Goiás, Kajuru faz parte de um grupo composto por parlamentares de vários partidos que se formou com o objetivo de combater a corrupção

11/12/2020 às 15h00


POR Redação

facebook twitter whatsapp

O Senador por Goiás Jorge Kajuru (Cidadania), que faz parte de um grupo em Brasília chamado de "Muda, Senado", decidiu nesta quinta-feira (10/12) que vai ser um dos nomes a disposição de se candidatar como presidente da casa nas eleição que deve acontecer em fevereiro de 2021. Apesar do nome do postulante ser definido pelo grupo até 15 de janeiro, Kajuru é um forte pretendente.

O senador por Goiás disse que já até escolheu o slogan de sua candidatura: "Independência e harmonia". Kajuru disse, em entrevista, que o Senado precisa ser autônomo perante outros Poderes e pretende promover as tão faladas CPIs do Judiciário e do Esporte. Além disso, também prevê analisar pedidos de impeachment de ministros do STF, andar com projetos de taxação de grandes fortunas e de fim de reeleição para cargos do Executivo. Todos temas parados no Senado por falta de apoio.

Além de Kajuru, outros integrantes do 'Muda, Senado' também se disponibilizaram para concorrer à presidência da casa. São eles os senadores Major Olímpio (PSL-SP), Alvaro Dias (Podemos-PR), Alessandro Vieira (Cidadania-SE), Mara Gabrilli (PSDB-SP) e Lasier Martins (Podemos-RS).

A ideia do grupo 'Muda, Senado', composto por senadores de vários partidos que dizem ter como foco o "combate a corrupção", é enfrentar o candidato escolhido pelo atual presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP). Alcolumbre está escolhendo um sucessor, já que não poderá se recandidatar, após a proibição pelo STF (Supremo Tribunal Federal) em votação que ocorreu nos últimos dias. A tendência, de acordo com bastidores, é que o atual presidente do Senado apoie um senador do PSD. Especulasse também que o MDB lance um candidato que representará o presidente Jair Bolsonaro (sem partido). 

Apesar da ideia, o grupo, porém, ainda não consegue formar maioria entre para eleger o seu candidato no primeiro turno. Por isso, precisarão conseguir o apoio de outros partidos, além da ajuda dos próprios partidos o qual fazem parte e buscar uma vaga em um eventual segundo turno.  Por isso, Kajuru tem encaminhado uma carta para seus colegas senadores pedindo apoio.

No texto, Kajuru cita suas diversas propostas e ações já descritas anteriormente caso sua candidatura seja escolhida pelo grupo. Além diss, o Senador cita por exemplo o projeto da prisão após condenação em segunda instância já no seu primeiro mês da nova legislatura. "Ainda cobrarei, veementemente, a votação do fim do foro privilegiado", diz o parlamentar na carta que cita outras dezenas de projetos.