PUBLI PREF GOIÂNIA CASA BRASIL 15409 e FULL
Logomarca
Nublado
º
min º max º
CapaJornal
Versão Impressa Leia Agora
Terça-feira. 21/09/2021
Facebook Twitter Instagram

MUNDO

DUBAI

Dubai cria tempestades artificiais para amenizar calor de 50°

Drones libertaram cargas elétricas nas nuvens para criar chuva

23/07/2021 às 20h00


POR Redação

facebook twitter whatsapp

No último domingo, a cidade de Dubai, capital dos Emirados Árabes Unidos (EAU) foi atingida por chuvas torrenciais. Porém, fortes chuvas no meio do deserto não são o fato mais impressionante nisso tudo, já que o governo do país tem jurado de pés juntos que as chuvas foram criadas por drones especialmente elaborados para “semear” nuvens e fazer chover.

A iniciativa se deu para tentar diminuir os efeitos de uma forte onda de calor que tem atingido a cidade, que é uma das mais tecnológicas do mundo. Esse aumento repentino na temperatura é o mesmo que tem atingido países mais frios também localizados no hemisfério norte, como Canadá e Estados Unidos, que têm experimentado as temperaturas mais quentes dos últimos tempos.

Na capital dos EAU, especificamente, a temperatura média chegou a alcançar 48°C nas últimas semanas, o que aumentou os efeitos do tempo seco característico do deserto. Com isso e sem previsão de chuvas, o governo resolveu inovar e colocou drones para “fazer chover”. Felizmente, a ideia deu certo e melhorou um pouco a situação do calor no país.

Parceria internacional

Os drones foram desenvolvidos como uma parceria entre o governo dos EAU e pesquisadores da Inglaterra. O funcionamento dos equipamentos é relativamente simples, na teoria, eles são catapultados para o ar e voam alto no céu, reunindo dados meteorológicos e dando uma espécie de choque elétrico nas nuvens.

A ideia é que esse pequeno pulso elétrico ajude no agrupamento de gotículas de água e outras partículas, que formam novas nuvens, essas maiores, que realmente têm chances de criar chuvas. Por estar localizado em uma zona desértica, Dubai normalmente vê apenas cerca de dez centímetros de chuva por ano.

“O que estamos tentando fazer é fazer com que as gotículas dentro das nuvens sejam grandes o suficiente para que, quando caem da nuvem, sobrevivam até a superfície”, disse a meteorologista da Universidade de Reading e uma das responsáveis pelo desenvolvimento dos drones, Keri Nicoll, em maio, quando ela estava preparando os primeiros testes do equipamento.

Potenciais riscos

Porém, apesar de representar uma esperança para locais como Dubai, o desenvolvimento de tecnologias capazes de alterar o clima em algumas áreas pode ser motivo de preocupação em outros locais. Segundo especialistas, equipamentos do tipo poderiam ser transformados em armas que “roubam” chuvas de um local e as levam para outro, provocando estiagens em países inimigos.