PUBLI CÂMARA SENSDOR CANEDO FULL 5265
Logomarca
Nublado
º
min º max º
CapaJornal
Versão Impressa Leia Agora
Domingo. 25/07/2021
Facebook Twitter Instagram

ENTRETENIMENTO

CINEMA

Presidente da Câmara de Goiânia solicita reabertura de cinemas na capital

Em Goiânia, segundo levantamento feito pelo mandato do presidente da Câmara, as salas de cinema completaram nesta quarta-feira (30/6), 452 dias ininterruptos de fechamento

01/07/2021 às 21h00


POR Redação

facebook twitter whatsapp

O presidente da Câmara de Goiânia, vereador Romário Policarpo (Patriota), apresentou ao Plenário requerimento dirigido à Prefeitura de Goiânia solicitando a reabertura de cinemas na capital, desde sejam cumpridos os protocolos sanitários adequados de prevenção à Covid-19.

Na solicitação, intermediada por representantes das empresas instaladas em Goiânia, Policarpo informa os cinemas estão em funcionamento em cidades maiores ou com população similar. No documento, o vereador cita as providências adotadas em outras cidades, como os cuidados com o sistema de climatização das salas.

“Outros municípios estabeleceram (para a retomada das atividades das salas de cinema), protocolos sanitários a serem adotados pelos funcionários, nas bilheteria, na bomboniére, nas salas de exibição, nos banheiros e em outros equipamentos assessórios, como autoatendimento, sala de funcionários, entre outros”, afirma o texto.

Em Goiânia, segundo levantamento feito pelo mandato do presidente da Câmara, as salas de cinema completaram nesta quarta-feira (30/6), 452 dias ininterruptos de fechamento.

Decreto de Goiânia proíbe reabertura de cinemas

O último decreto de Goiânia, publicado no dia 22 de junho, continua proibindo a reabertura de cinemas, teatros, casas de espetáculo, de artes cênicas, boates, casa de shows musicais e congêneres. Entretanto, continuam permitidos os eventos sociais com capacidade máxima de 75 pessoas.

Também está permitido o funcionamento de bares e restaurantes, com no máximo seis pessoas por mesa, que devem ter distanciamento de 2 metros entre si. Com essas regras, não há limite para capacidade máxima de clientes dentro do estabelecimento. A mesma determinação vale para panificadoras.

O valor da multa para quem descumprir as medidas sanitárias estabelecidas no decreto aumentou, passando de R$ 4.705,30 para R$ 4.908,10.

O documento é válido até o próximo dia 6 de julho, quando a situação epidemiológica da capital será reavaliada e um novo decreto deve ser publicado, estabelecendo as medidas de enfrentamento à Covid-19 pelos próximos dias.