Logomarca
Nublado
º
min º max º
CapaJornal
Versão Impressa Leia Agora
Terça-feira. 05/07/2022
Facebook Twitter Instagram

ECONOMIA

COMBUSTÍVEL

Petrobras anuncia aumento de 18% na gasolina e 24% no diesel

Reajuste também chega para o gás de cozinha, com mais de 16% de aumento

11/03/2022 às 12h30


POR Redação

facebook twitter whatsapp

A Petrobras anunciou que, a partir desta sexta-feira (11), haverá reajuste nos preços da gasolina e diesel nas refinarias. A decisão vem após 57 dias de congelamento. Além disso também haverá alta no gás.

Com a decisão, a gasolina passa de R$ 3,25 para R$ 3,86 por litro, um aumento de 18,77%. Já o Diesel passa de R$ 3,61 para R$ 4,51 por litro, avanço de 24,9%. Importadores de combustível já alertavam que, caso não houvesse reajuste, poderia ter desabastecimento.

Em nota, a Petrobras afirma que o novo ajuste “vai no mesmo sentido de outros fornecedores de combustíveis no Brasil que já promoveram ajustes nos seus preços de venda”.

Em comparação com dezembro do ano passado, quando a gasolina era vendida a R$ 1,83 por litro nas refinarias, a nova alta equivale a mais que o dobro em pouco mais de um ano, impactando na inflação. 

A Petrobras já estava sob pressão para não aumentar preços em função dos preços mais altos do petróleo devido à guerra na Ucrânia. O governo analisava o congelamento dos preços para evitar o impacto para a população.

Petrobras anuncia reajuste também no gás

O valor do GLP (gás liquefeito de petróleo), conhecido como gás de cozinha, também será reajustado a partir desta sexta-feira (11). O preço médio vai passar de R$ 3,86 para R$ 4,48 por kg, equivalente a R$ 58,21 por 13kg, alta de 16,06%.

Na nota, a Petrobras afirma que “esses valores refletem parte da elevação dos patamares internacionais de preços de petróleo, impactados pela oferta limitada frente a demanda mundial por energia”.

“Após  serem observados preços em patamares consistentemente elevados, tornou-se necessário que a Petrobras promova ajustes nos seus preços de venda às distribuidoras para que o mercado brasileiro continue sendo suprido, sem riscos de desabastecimento, pelos diferentes atores responsáveis pelo atendimento às diversas regiões brasileiras: distribuidores, importadores e outros produtores, além da Petrobras”, diz a estatal no comunicado.