Logomarca
Nublado
º
min º max º
CapaJornal
Versão Impressa Leia Agora
Sexta-feira. 04/12/2020
Facebook Twitter Instagram

ECONOMIA

SALÁRIO MÍNIMO

Atualização: salário mínimo pode ter novo aumento de R$ 42

Hoje quase 50 milhões de brasileiros vivem com mínimo de R$ 1.045,00, segundo dados do Dieese

20/11/2020 às 17h30


POR Redação

facebook twitter whatsapp

O salário mínimo para o ano que vem deve sofrer nova atualização, passando da proposta R$ 1.045, anteriormente anunciado, para R$ 1.087,85. A revisão está sendo feita pelo Governo Federal, por meio do Ministério da Economia. A alta representa R$ 42,85.

A pasta tem revisado a estimativa do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) deste ano. Se isso concretizar o valor muda de 2,35% para 4,10%. Esse indicador é importante, uma vez que o resultado é utilizado para reajustar o valor do salário mínimo.

Em abril deste ano, o governo já tinha proposto no Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (PLDO) que o piso salarial em 2021 seria de R$ 1.079. O foi levado em consideração o INPC de 3,29%. Índice que serve como base para que o governo elabore a proposta orçamentária para cada ano.

Porém, no fim de agosto, quando o governo encaminhou a proposta de orçamento para 2021 ao Congresso Nacional, a proposta baixou para R$ 1.067,00. Isto significou que o piso nacional não teve aumento real pelo segundo ano seguido. Foi levado em consideração uma alta de 2,09% do INPC.

Sem aumento real

No ano passado, o governo acabou com a política de reajuste real do salário mínimo. Com isso, o valor salarial se limita a seguir a determinação da Constituição, que determina preservação do poder aquisitivo do trabalhador.

Nesse sentido, sem ganho real no salário mínimo, o governo consegue um certo alívio financeiro, isso porque o reajuste dele influência automaticamente os benefícios previdenciários e assistenciais.

Para se ter ideia, a cada R$ 1 de aumento no valor do mínimo é amplia em cerca de R$ 355 milhões as despesas por ano da União.

Atualmente, o salário mínimo é de R$ 1.045,00 e, segundo os dados do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), mais de 49 milhões de brasileiros vivem com esse valor. Por outro lado, o órgão cálculo que para cumprir o texto da Constituição Federal, para o básico de uma família, o mínimo teria que ser de mais de R$ 4 mil.