Logomarca
Nublado
º
min º max º
CapaJornal
Versão Impressa Leia Agora
Domingo. 25/10/2020
Facebook Twitter Instagram

PONTO & VÍRGULA | Marcelo Heleno

POLÍTICA

Coluna Ponto & Vírgula - 12 De Dezembro De 2019

12/12/2019 às 10h18


POR PONTO & VÍRGULA | Marcelo Heleno

facebook twitter whatsapp

A pirralha ensina

Greta Thumberg é um fenômeno. Por ser ela mesma. Há três anos, ela passou a ir para a porta do Parlamento do seu país, a Suécia, para pedir medidas práticas para diminuir a emissão de gases que, por sua vez, comprometem a qualidade de vida em nosso planeta. O protesto solitário foi ganhando solidariedade e ela virou um símbolo de uma geração, que se conecta através das redes sociais. A menina virou ativista e, aos 16 anos, se senta à mesa com autoridades e tem sido chamada para dar opinião sobre as questões ambientais. Chamada de pirralha, depois de cobrar posição do governo brasileiro sobre a morte de índios no Maranhão. O presidente Bolsonaro ofendeu a ativista e criticou mais uma vez a imprensa, por abrir espaço para Greta. Personalidade do Ano pela revista Time, Greta ensina que ser naturalmente sincera costuma render bons frutos ainda nos dias atuais.

Sem convite

Amuleto de Greta Thumberg, o presidente Bolsonaro não deve ser convidado para a entrega do prêmio.

 

Esticou a corda

Deputados esticaram a corda com a aprovação do projeto de encampação da Enel. A primeira votação teve unanimidade. Antes do recesso, o projeto já deve ser entregue à sanção do governador Ronaldo Caiado. Na prática é a rescisão do contrato de transferência da Celg-D para a Enel. A empresa deve recorrer. Brasília continua calada sobre o assunto.

 Na mira

Apontada como encampadora natural da Enel Goiás, a Celg G&T entrou na lista de privatização do Governo de Goiás. Projeto foi apresentado à Alego, como condição para a entrada de Goiás no Regime de Recuperação Fiscal, prometido desde o início do governo Caiado. Enxuta, a empresa, que cuida de redes de transmissão de alta voltagem, vem apresentando lucro.

  A conta

Se não puder continuar operando a distribuição de energia elétrica em Goiás, a Enel deve buscar reparação na justiça. Deve pedir de volta o que pagou pela empresa e o que investiu no tempo em que esteve operando. A conta fecharia, hoje, na casa dos R$ 7 bilhões.

 Na contramão

A renovação da concessão do serviço de água e esgoto para a Saneago vai em sentido contrário do marco definido pelo Congresso Nacional para o setor. Deputados e senadores querem a iniciativa privada no serviço, como forma de garantir recursos para investimentos. Hoje, 94% do setor estão nas mãos de estatais.

Novo presidente

Professor e empresário do ramo, Flávio Roberto (Prevest) assume hoje a presidência do Conselho Estadual de Educação. É do ramo e muito respeitado no meio.

Mais quatro meses

Com a abertura da janela para troca de partido de vereadores, em abril, quadro deve começar a definir em Goiânia. Dez pré-candidatos a prefeito não vão ter essa preocupação. Íris Rezende (MDB) pode disputar a reeleição. Age como se fosse candidato, mas só vai anunciar pouco antes das convenções, em julho. Mais nove parlamentares podem concorrer, sem abrir mão dos mandatos. Do Senado, vem a possibilidade de Vanderlan Cardoso, hoje no PP. Da Câmara Federal, Francisco Jr (PSD) e Elias Vaz (PSB). Da Assembleia, Thiago Albernaz (SD), Virmondes Cruvinel (Cidadania), Adriana Accorsi (PT) e Major Araújo (PSL). Da Câmara, despontam os nomes de Romário Policarpo (Patriota) e Dra Cristina, que vai-se filiar ao PL.

 Sonho

MDB não tem plano B. Não se fala mais em outra candidatura e há um grande otimismo em torno do nome de Íris Rezende. A avaliação beira ao exagero de querer comparar essa com a reeleição de Íris em 2008. Ora, o grande adversário daquele ano foi Sandes Jr (PP), que levou a maior surra eleitoral da história de Goiânia. Dificilmente, o MDB repete a performance daquele ano, quando elegeu 11 vereadores. Isso porque é possível a concorrência de, pelo menos, três candidaturas bem estruturadas no pleito. E o eleitor é diferente.

 Recorde

Governador Ronaldo Caiado trabalha com a possibilidade de aprovação do ProGoiás, o novo programa de incentivos fiscais, ainda antes do recesso. Empresários reclamam que não discutiram o projeto. No momento em que Goiás conseguiu a melhor marca na indústria brasileira, estes mesmos empresários têm alertado para clima de incerteza entre algumas grandes empresas instaladas em Goiás.

 Não é coincidência

A ameaça de indiciamento por mau uso de incentivos fiscais na CPI da Alego e o pedido do Ministério Público para cobrar quase R$ 1 bilhão perdoado do grupo Friboi contribuem para esse clima.

 Cidadão e presidente

Líder comunitário e presença marcante em muitas rodas políticas, Ulisses Sousa recebeu o título de cidadão goianiense. Pré-candidato a vereador, continua percorrendo a cidade, com estilo próprio.

 Recesso à porta

Câmara de Goiânia concluiu votação do Orçamento de 2020 e o piso para agentes de saúde e de endemias. Deve, ainda, realizar a primeira votação da revisão do Plano Diretor. A segunda votação fica para o ano que vem. As mudanças no Código Tributário também.

 Costura

Depois de garantir espaço para o grupo de Alexandre Baldy, governador Ronaldo Caiado ouviu o grupo de Aparecida de Goiânia na escolha do novo titular da Comunicação. Será o terceiro nome em um ano de governo.

 Novo ranking

Grande vencedor do futebol brasileiro, o Flamengo assumiu o segundo lugar no ranking da CBF, que considera os resultados dos clubes brasileiros nos últimos cinco anos. O Palmeiras segue líder. Goiás em 20º, Atlético em 25º e Vila Nova em 33º são os goianos mais bem colocados.

 Restam três

Com a queda do Cruzeiro, restam apenas Flamengo, Santos e São Paulo como clubes que nunca disputaram a Segundona do futebol brasileiro.

 Furando a fila

Unidade Popular é o novo partido político registrado no Brasil. Agora, são 33 aptos a disputar a eleição e dividir o dinheiro para o ano que vem. Pode ter mais.

 Por que?

As melhorias da economia não chegam ao bolso do trabalhador.

 Frase do dia

“Estou dizendo para vocês que há esperança. Eu tenho visto isso. Mas ela não vem dos governos e corporações. Ela vem das pessoas.

(Greta Thumberg)