Logomarca
Nublado
º
min º max º
CapaJornal
Versão Impressa Leia Agora
Domingo. 25/10/2020
Facebook Twitter Instagram

PONTO & VÍRGULA | Marcelo Heleno

POLÍTICA

Coluna Ponto & Vírgula - 10 De Janeiro De 2020

10/01/2020 às 06h00


POR PONTO & VÍRGULA | Marcelo Heleno

facebook twitter whatsapp

Íris é candidato

Conforme dissemos na primeira coluna do ano, se tem um candidato à prefeitura de Goiânia, ele atende pelo nome de Íris Rezende Machado. Continua o mesmo. Em 2004, quando venceu a eleição para a prefeitura, foi candidato porque o povo foi buscá-lo na fazenda. Como em 2020 foi candidato a governador por exigência das lideranças municipais. Em 2016, anunciou o fim da carreira, mas voltou às vésperas, para dar um jeito na bagunça que tinha virado a prefeitura de Goiânia. O que Íris quer, neste momento, é mais tranquilidade para tocar a gestão, que tem um caminhão de obras pra entregar. Íris não quer tocar no assunto e não vai abrir espaço para barganhar nada. Ele é candidato e pronto. Vai escolher os aliados e, principalmente, o vice, que hoje seria Paulo Ortega que, curiosamente, iniciou o ano falando em nome da prefeitura.

Sem Maguito

Quando afirmou que não bancará nenhuma candidatura em Goiânia, íris deu uma leve canelada em Maguito Vilela, que teria espalhado que ele seria o nome de Íris para Goiânia. Se Íris avaliar, por algum motivo, que não será candidato (o que é pouco provável) deve decidir com o governador Ronaldo Caiado o nome para disputar a eleição na capital.

Fogo baixo

A anunciada união de Caiado e Íris em Goiânia diminuiu o ânimo de seguidores do secretário Wilder Moraes, que se filiou ao Pros de olho no Paço.

 Os parlamentares

Deputados federais Elias Vaz (PSB) e Francisco Jr (PSD) com olho grande em Goiânia. Assim como os deputados estaduais Thiago Albernaz (SD), Virmondes Cruvinel (Cidadania), Delegado Eduardo do Prado (PV), Major Araújo (PSL) e Adriana Accorsi (PT). Entre os vereadores, Dra Cristina (indo para o PL) e Romário Policarpo (Patriota) mantem a chama acesa. Metade cai fora da corrida no big brother politico de abril.

Janela

Dos atuais 35 vereadores de Goiânia, quatro já trocaram de partido. Pelo menos uma dezena segue o mesmo caminho na janela aberta pela legislação em abril. Tudo em nome da melhor maneira de se reeleger.

 Reeleição não

Cristina Lopes, que deve disputar a prefeitura, Paulo Magalhães, Milton Mercez e Paulinho Graus não devem tentar novo mandato neste ano.

Forças ocultas

No fogo interno do MDB, circulou a informação de que Maguito Vilela pode sofrer condenação por descumprimento à Lei de Licitação, quando prefeito de Aparecida de Goiânia.

 Exílio juramentado

Marconi Perillo comunicou o óbvio à direção do PSDB: não vai participar das eleições municipais deste ano. A decisão pode diminuir a munição dos adversários tucanos, mas pode frustrar os aliados. PSDB pode ganhar o status de menor abandonado depois do pleito.

 Conta de doido

O fim das coligações partidárias para vereadores promete um nó na cabeça dos articuladores, em busca da melhor estratégia para o pleito. Se a regra fosse aplicada nas eleições passadas, apenas 22 cadeiras seriam definidas pelo coeficiente eleitoral. Outras 13 vagas seriam definidas pelas sobras. Com o agravante de que o que deu certo lá atrás pode não valer para hoje. Não há o menor sinal de algo parecido com o fenômeno Kajuru, por exemplo.

 Bancada da bengala

 Sandes Júnior, Pedro Wilson e Marina Sant’Anna encabeçam a lista dos que podem voltar à vereança em 2021.

Ajoelhou e não rezou

Ao sair da cadeira em Curitiba, Lula encomendou a criação de grupos evangélicos de apoio na capital. A ideia pareceu absurda para alguns, mas vai ao encontro do crescimento do segmento dentro da sociedade brasileira. Missão dada, missão cumprida. Com fracasso total. A avaliação é que a direita chegou bem antes ao Céu.

 Nome nacional

Execrado pelo presidente Jair Bolsonaro, o governador do Maranhão, Flávio Dino, é objeto de desejo para ser vice. Tanto por Lula como pelo pessoal que sonha com uma chapa de centro.

 Trinca

Mesmo com o DEM em baixa, o governador Ronaldo Caiado pode comemorar vitória nas três principais cidades goianas em outubro. Apostando as fichas nos emedebistas Íris Rezende (Goiânia) e Gustavo Mendanha (Aparecida de Goiânia) e contando com Roberto Naves (Anápolis).

 Sufoco financeiro

Há quase um ano, houve determinação palaciana para criar problemas para a Enel. Com as vias parlamentares barradas e a pouca vontade de cassar a concessão pelo governo Bolsonaro, se concretiza um embate financeira. Depois da multa de R$ 62 milhões, a maior aplicada pela AGR, o Procon-GO aplicou mais R$ 9 milhões. São multas administrativas, que estão sendo questionadas, mas que arranham a imagem da Enel Goiás, que é reconhecida como a pior distribuidora de energia do país.

 Polo

A Região da 44 se consolida como polo de confecção. Mesmo com os problemas de trânsito e os transtornos de falta de estrutura. Em janeiro, o Go Inn, hotel que atende atacadistas que procuram a região, oferece 20% de desconto para manter o movimento em janeiro.

Cara do bem

Vejo um certo exagero na cobertura que a mídia dá para o atacante Michael. Mas é um cara do bem. Sempre sorridente, não nega nem as origens, nem os problemas que enfrentou, como o uso de drogas e as tentativas de assassinato que sofreu. Está indo para o Flamengo, o time mais popular do Brasil. Onde pode se consagrar ou pode frustrar os seus sonhos. É a conquista não só do jogador, mas de toda uma geração que sonha em vencer e chegar ao destaque, jogando em um grande clube do futebol nacional, como já acontece hoje com Bruno Henrique. 

Meio ambiente por inteiro

Do alagamento de Pontalina às queimadas da Austrália, o meio ambiente continua sendo tema de atenção e debate em todo o mundo. Uma simples sugestão para quem quer fazer compromissos com os eleitores.

 

 

Por que?

Bolsonaro não quis se alinhar totalmente com Trump no episódio do Irã.

  Frase do dia

“O fraco jamais perdoa.”

(Mahatma Gandhi)