PUBLI PREFEITURA DE GOIÂNIA DENGUE
Logomarca
Nublado
º
min º max º
CapaJornal
Versão Impressa Leia Agora
Terça-feira. 16/07/2019
Facebook Twitter Instagram

NOTÍCI@PURA | Divino Olávio

POLÍTICA

Coluna Noticia Pura - 04 De Junho De 2019

04/06/2019 às 09h30


POR NOTÍCI@PURA | Divino Olávio

facebook twitter whatsapp

Prática de repassar duodécimo menor à Alego vem de longe

A propósito do imbróglio entre Assembleia Legislativa e Secretaria de Economia, sobre o repasse do duodécimo a Casa, vem de longe a prática do Executivo de repassar a menos o valor corresponde ao percentual constitucional. Ocorreram durante os governos do PSDB, ao longo dos últimos 20 anos ou até antes. Os ex-presidentes da Assembleia até que reivindicavam, cobravam a integralidade do repasse do percentual fixado na Constituição, mas no máximo que acontecia aumentavam-se um pouco os repasses em determinados momentos. Como eram todos do mesmo partido, não havia consequências de maior repercussão. Se de um lado a Casa ficava sem parte do percentual a que tinha direito, muitas vezes os deputados eram recompensados de outras formas, como o “apadrinhamento” das obras que eram construídas no interior. Com isso os deputados passavam a ser reconhecidos pela população do lugar, como alguém que lutou para que determinadas obras fossem levadas para o município ou região, o que lhes rendiam votos nas eleições seguintes. Mas hoje o presidente, deputado Lissauer Vieira (PSB), não faz parte da base de apoio do governo. Ao contrário, a sua eleição foi fruto de articulação que reuniu parlamentares da oposição e de boa parte dos governistas, que se recusaram apoiar o nome indicado pela base governista, que foi o democrata Álvaro Guimarães. De outro lado, o Executivo vem passando por dificuldades para honrar compromissos e obrigações, por causa da crise fiscal construída ao longo de governos anteriores, aliada à queda nas receitas, decorrente do aprofundamento da crise econômica nacional. É essencial que haja compreensão por parte de todos para atravessar esse período. Mas se tiver que haver redução de repasse de duodécimos, há que ser não só da Assembleia, mas do Tribunal de Justiça, tribunais de contas do Estado e dos municípios e do Ministério Público e demais órgãos que recebem repasse. Mais, não fica bem um Poder querer interferir e outro apontando o que deve ou o que não deve ser prioridade na aplicação dos recursos.

31 de maio: o 4º dia mais feliz de Caiado

O governador Ronaldo Caiado viveu na sexta-feira, 31 de maio, o seu 4º dia de maior felicidade nos últimos oito meses, motivado não apenas pela vinda do presidente Jair Bolsonaro a Goiás mas principalmente pelas boas notícias trazidas pelo capitão. O presidente participou de um evento organizado pelas Assembleias de Deus, em Anápolis. Durante o trajeto entre Goiânia e Anápolis, resolveu fazer uma escala para almoço no Posto Presidente, nos arredores da “manchester”, onde se encontrou com um grupo de caminhoneiros. Demonstrando bom humor, Bolsonaro reforçou chamou-o publicamente de “pais da ideia”, pela proposta de destinação de 30% dos recursos do FCO, Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste, no financiamento do desenvolvimento em Estados da região. Foi uma demonstração de prestígio de Caiado, que ouviu de Bolsonaro a intenção agilizar o envio ao Congresso da Medida Provisória, que autoriza a operação.

Outros três

Os outros três anteriores, conforme nota “Dias alegres” publicada na edição do dia 20 de maio, por conta da aprovação da solicitação do governador à Sudeco, para a destinação de parte dos recursos do FCO aos Estados do Centro-Oeste, para financiar o desenvolvimento regional. Em relação ao evento com o presidente Jair Bolsonaro, após a realização do evento, o próprio Ronaldo Caiado confidenciou a alguns membros do seu círculo mais próximo o seu bem estar e sensação de bem estar e de vitória.

Pesquisas

Uma conhecida empresa de pesquisas eleitorais acaba de realizar levantamentos com sondagens sobre tendência para as eleições de prefeito, em 2020, em algumas cidades. Três delas são, Senador Canedo, Rio Verde e Jataí. Segundo esse diretor com quem conversamos ontem, em Jataí a vitória esmagadora será do ex-prefeito Humberto Machado (MDB), sem a menor possibilidade de qualquer outro nome que vier a ser indicado pelos partidos. Candidato à reeleição, o prefeito de Rio Verde, Paulo do Vale (do grupo de prefeitos dissidentes do MDB), que também está com índice aprovação superior a 60% e a tendência, segundo ele, será a reeleição de Paulo hoje, é como “inhambu na capanga” e por último Divino Lemes (PSD). Lemes, segundo o pesquisador, vem melhorando a cada dia imagem da sua administração.

Iris x Francisco

Há levantamento em andamento também em Goiânia, onde segundo o diretor do  Instituto Pesquisa ouvido pela coluna, se a eleição fosse hoje, entre os nomes cogitados como prováveis candidatos,  provavelmente estariam no segundo turno o atual prefeito Iris Rezende (MDB) e o deputado Francisco Júnior (PSD), se ambos fossem candidatos.

PSD está fora do Centrão garante Vilmar Rocha

O Partido da Social Democracia (PSD) não faz mais parte do chamado “Centrão” – aglomerado de partidos liberais que costumam agir em bloco, em votações de matérias no Congresso –, garante o ex-deputado Vilmar Rocha, presidente do partido em Goiás. “O PSD tem vida própria e não  dependerá da decisão de nenhuma outra legenda, para tomar suas”, explica Vilmar. Segundo Vilmar Rocha (foto), o PSD possui a 2ª maior bancada no Senado e a 4ª na Câmara. Vilmar e o ex-governador de Santa Catarina, Raimundo Colombo, estão organizando encontros regionais de reestruturação do partido em vários Estados, atendendo ao pedido do presidente nacional da sigla, Gilberto Kassab. Nos dias 6 e 7 desse mês será realizado o 4º, em Fortaleza (CE).Os três primeiros foram em Teresina (PI), Aracaju (SE) e Salvador (BH).

Mudança

Gente muito próxima dos gabinetes no 10º pavimento do Palácio Pedro Ludovico Teixeira anda apostando com os próprios botões que não vai demorará ocorrer a primeira alteração na equipe de auxiliares do governador Ronaldo Caiado. Em uma das pastas, então, em que o colaborador ressalva que conta nem o sexo da autoridade, que ele avalia estar na situação “cai não cai.” Caiado, segundo ele, quer resultados da equipe.

Conselheiro chutando latas   

O conselheiro Sebastião Tejota, do Tribunal de Contas do Estado (TCE), anda “chutando latas”  ultimamente, tamanha é a sua felicidade. Não, não, o pai do vice-governador Lincoln Tejota não ganhou na Mega Sena, ainda. Mas é quase isso. É que foi constatada, por meio de pesquisas com as análises devidas, a presença de ouro, muito ouro em sua fazenda no município de Crixás. Com isso, a propriedade será vendida logo, logo para uma empresa mineradora, a preço de ouro, naturalmente. As únicas tristezas do conselheiro Tejota atualmente têm sido as sucessivas derrotas do Vila Nova Futebol Clube, seu time do coração.