ÂPUBLI ANÁPOLIS
Logomarca
Nublado
º
min º max º
CapaJornal
Versão Impressa Leia Agora
Sexta-feira. 27/05/2022
Facebook Twitter Instagram

MOMENTO POLÍTICO | José Luiz Bittencourt

POLÍTICA

Coluna Momento Político - 14 De Dezembro De 2021

14/12/2021 às 10h29


POR MOMENTO POLÍTICO | José Luiz Bittencourt

facebook twitter whatsapp

ESTRELA SOLITÁRIA, VANDERLAN MERECE UM ESTUDO PSICOLÓGICO E SOCIOLÓGICO

O senador Vanderlan Cardoso, todo mundo sabe, é um político solitário, não orgânico, que representa a si mesmo no Senado Federal. Não é o único. Mas é muito diferente, por exemplo, de personalidades como Ronaldo Caiado, Iris Rezende ou Maguito Vilela, que ocuparam cadeiras na Câmara Alta expressando bandeiras e anseios da sociedade goiana. Vanderlan tem dificuldade em se relacionar com outras forças e outras lideranças do processo histórico estadual, não tem interlocutores e, dizem muitos dos que já andaram com ele, seria simplesmente inassessorável, por desconfiar de todos e só confiar no próprio discernimento. Como é essencialmente pragmático, sem formação superior ou intelectual, baseia suas decisões apenas na sua experiência pessoal, no dia a dia, e na opinião dos seus familiares, entre os quais a esposa Izaura, evangélica do pé rachado, tem um peso preponderante. Não é à toa, diante disso tudo, que soma um currículo em que as derrotas superam, de longe, as vitórias. E ainda com um detalhe: sua eleição para o Senado foi acidental, isto é, decorrência de fatores aleatórios e de uma oportunidade que surgiu com a perseguição policial ao ex-governador Marconi Perillo, fulminando toda a chapa encabeçada pelo PSDB. Conclusão: pelo menos por enquanto, ele, Vanderlan, não tem perfil para governador. Só por ser empresário bem-sucedido ninguém jamais chegou ao Palácio das Esmeraldas. Ele tem lacunas na sua ação política que precisam ser sanadas.

DONO DO ARROZ CRISTAL FOI PRESSIONADO PARA NÃO CEDER TERRENO PARA O MUTIRÃO?

Corre em Aparecida que o prefeito Gustavo Mendanha ou gente ligada a ele pressionaram o empresário Walterdan Madalena, dono do Arroz Cristal, para não ceder ao Estado o amplo e bem-posicionado terreno, no bairro Independência, de propriedade da empresa, onde foi realizado no último fim de semana o Mutirão Iris Rezende. É o tipo da coisa difícil de se comprovar, mas, pela miudeza da política aparecidense e diante da recusa da prefeitura local em participar do megaevento, não se pode duvidar. Mendanha é um político, digamos assim, sem visão adequada da conjuntura e já foi flagrado antes em atitudes que só o apequenaram.

MUTIRÃO IRIS REZENDE EM APARECIDA FOI EVENTO POPULAR PORTENTOSO

Vale o registro: a edição do Mutirão Iris Rezende em Aparecida foi mais bem sucedida que a 1ª versão, realizada em Goiânia. Foram 80 mil atendimentos contabilizados pelas equipes de prestação de serviços do governo do Estado, enquanto, na capital, o número não passou de 70 mil. As fotos do evento mostram que o governador Ronaldo Caiado viveu momentos catárticos, misturado com a multidão, entregando benefícios sociais e distribuindo brinquedos para as crianças – item que mais atraiu a atenção do público presente. A comparação com o pequeno e desvalido mutirão que a prefeitura local realizou na semana anterior é totalmente desfavorável para o prefeito Gustavo Mendanha, que provavelmente teve desgastes com a recusa birrenta em participar do Mutirão Iris Rezende.

VECCI É CANDIDATO A DEPUTADO FEDERAL, DE OLHO NA GARUPA DE MARCONI

O ex-eterno secretário de Planejamento dos governos de Marconi Perillo e ex-deputado federal pelo PSDB Giuseppe Vecci decidiu-se por uma nova candidatura à Câmara dos Deputados. Pragmático, ele fez as contas e concluiu que pode se beneficiar da repetição do fenômeno que elegeu o deputado federal Major Vítor Hugo, que teve 30 mil votos e pegou carona na legenda criada pela votação do deputado federal Delegado Waldir, no PSL. Vecci imagina que Marconi Perillo pode ser bem votado e abrir chance idêntica para ele, ainda que tenha uma votação pequena, na base dos mesmos 30 mil votos do Major Vitor Hugo. Só se esquece, nesse raciocínio, do atual deputado estadual Hélio de Souza, que conta com bases municipais sólidas e potencial para chegar aos 80 mil votos. Seriam Marconi e Hélio os eleitos, não Vecci – mesmo porque, mais de dois deputados federais, o PSDB jamais fará na próxima eleição.

ZÉ ELITON, MESMO RECUPERADO, NÃO REASSUME PRESIDÊNCIA DO PSDB

Apesar de já ter superado o desafio à sua saúde que o levou a se licenciar da presidência estadual do PSDB, o ex-vice e ex-governador Zé Eliton ainda não reassumiu o partido e pode nem reassumir. No lugar dele, vem trabalhando o vice, Marconi Perillo, que atua como presidente em exercício e, segundo as más línguas tucanas, deu uma melhorada e tanto nos eventos regionais do partido – que vinham em “clima de velório” com a gestão e coordenação de Zé Eliton. O partido comemorou uma nota de O Popular afirmando que mil pessoas foram a Sanclerlândia, na reunião realizada no fim de novembro. Na verdade, apareceram entre 100 e 150 curiosos, mas, dentro da situação de depauperação política do PSDB, uma versão como esse vale ouro.

JORNAIS PRECISAM MIRAR O QUE SE PASSA NA PREFEITURA DE APARECIDA

O Popular e a jornalista Fabiana Pulcineli são peculiares: gostam de denúncias contra gestores públicos, mas não qualquer um, apenas aqueles selecionados pelos seus insondáveis critérios. Por exemplo: ignoram o que se passa na prefeitura de Aparecida, repleta de irregularidades por sinal semelhantes às que o jornal e a jornalista supostamente “investigativa” denunciam em outras esferas de governo, como a prefeitura de Goiânia, onde disparou a proliferação de consultorias sem licitação depois que Rogério Cruz assumiu. Consultorias, leitoras e leitores, são suspeitas por natureza. Indicam, quase sempre, manobras espúrias para o levantamento de dinheiro para bolsos privados. Iris Rezende, em suas gestões no Paço Municipal, não fez nenhuma. O governador Ronaldo Caiado, nos seus quase três anos de mandato, também não assinou uma única. Rogério Cruz, em menos de oito meses como prefeito da capital, propôs várias, sempre sem licitação, ao arrepio da moralidade e da lisura que a sua administração deveria obedecer.

MENDANHA INAUGUROU UM FESTIVAL DE CONSULTORIAS SEM LICITAÇÃO

Em Aparecida, as consultorias contratadas sem licitação se multiplicaram depois que o prefeito Gustavo Mendanha assumiu. Em cinco anos e oito meses de gestão, ele assinou 191 contratos com dispensa de licitação e 68 baseados em inexigibilidade, um recorde nacional. Muitos envolvendo consultorias contábeis e financeiras, com objetos difusos e difíceis de serem delineados. E sempre em valores elevados. Onde estão os repórteres “investigativos”, como Fabiana Pulcineli, que não focam essas operações? Um escritório de contabilidade de Trindade, desconhecido, foi contratado por Mendanha para auditar as despesas do hospital municipal desde 2018, com a obrigação de colocar 13 profissionais à disposição, e, mesmo assim, não localizou nenhuma irregularidade, enquanto as Polícias Civil e Federal desencadeavam as Operações Parasitas e Falso Positivo, desnudando um antro de corrupção dentro do HMAP. E o Ministério Público Estadual? Calado, igual a O Popular.

EM RESUMO

  • Catando eventos no interior para tentar caracterizar a sua pré-campanha como movimentada, Gustavo Mendanha foi de penetra à inauguração do clube da subseção da OAB em Goianésia.

 

  • Em outras cidades, as fotos postadas pelo próprio Mendanha no Instagram o mostram em reuniões em garagens de residências, falando a 10 ou 15 pessoas. No mais, títulos arranjados de cidadania.

 

  • Os portais de transparência de Goiânia e Aparecida exigem um esforço hercúleo de quem procura dados sobre as suas respectivas gestões. Parecem mais concebidos para esconder as informações.

 

  • Ninguém passou mais tempo no Mutirão Iris Rezende em Aparecida do que o presidente estadual do MDB Daniel Vilela. Tomou café da manhã, almoçou e merendou no meio do povão que foi ao evento.

 

  • O helicóptero da deputada federal Magda Mofatto está à disposição do prefeito Gustavo Mendanha. Mas, para evitar críticas, ele desce em locais afastados dos municípios que visita e chega de carro.

 

  • Mesmo descartando cabalmente qualquer presença na política, a filha de Iris Rezende, Ana Paula Rezende, tem tudo para vir a ser candidata a deputada federal pelo MDB, nas eleições de 2022.

 

  • O deputado federal Major Vitor Hugo deixou Brasília de lado e passou a concentrar sua agenda em visitas aos municípios e entrevistas a emissoras de rádio e veículos de comunicação em Goiás.

 

  • Nos dois dias do Mutirão Iris Rezende em Aparecida, o nome do ex-prefeito Maguito Vilela foi o mais citado por todos os que usaram o microfone, em especial Daniel Vilela e o governador Ronaldo Caiado.

 

  • Com 80 mil atendimentos, o mutirão aparecidense mobilizou a população e deixou o prefeito Gustavo Mendanha abalado. Nem na cidade ele quis ficar: de quinta, 9, a domingo 13, viajou para outros municípios.